Aqui começa a minha jornada, no mundo maravilhoso do sentimento de SER "Simplesmente Avó"

“Vovó, conta de novo o que você sentiu quando me viu pela primeira vez”

Quando uma avó vê seu neto pela primeira vez, floresce como pessoa, evolui como ser humano e as emoções se intensificam até alcançar um nível indescritível. Não importa se é seu primeiro ou oitavo neto. Todos são jóias de um lindo colar, tesouros de uma nova geração que são paparicados com muito amor.

Uma das coisas que muitas pessoas podem sentir quando, de repente, chega o primeiro neto é que acabam de entrar no outono das suas vidas. Já sou tão velha como dizem? O simples fato de que meus filhos já têm filhos significa que sou “uma senhora”? De forma alguma.

É comum que se perguntem como delimitar cada espaço em que estão inseridas, e cada responsabilidade que possuem. Elas sabem e entendem que seu papel não é o de “criar” ou de “educar”, esse aspecto já deixaram para trás, são tarefas dos pais. As avós de hoje em dia querem apenas uma coisa: ser esse apoio emocional e essa conselheira disponível, amável e mediadora na vida do recém-nascido.

A máxima aspiração de qualquer avó é ganhar o coração dos netos. Ela deseja ocupar para sempre um pedacinho muito especial do seu interior, quer passar o máximo de tempo possível com eles, mas sabe e entende que sua parcela restante de vida é, obviamente, mais limitada que a de seus netos.

Assim, uma das suas tarefas é a de transmitir uma educação baseada nas emoções, no reconhecimento, na força de um vínculo que deve acompanhar para sempre, seu ou seus netos, que serão os adultos do futuro. A avó vai renascer como o melhor modelo, uma pessoa que inspira, que dá bons conselhos, que permite crescer sem punir, que cultiva a esperança, que é o abraço de todos os dias, a mão que acaricia, o presente dado às escondidas e aquele eterno sorriso de cumplicidade.

Adaptado do Texto de Éres Mamá

Anúncios

Do Primeiro ao Segundo mês de Cecília

Entre muitas noites sem dormir (sim, porque bebê nesse período acorda de hora em hora para mamar e também tem as cólicas e gases – mas nesse quesito você usou muito o colic calm, santo remédio!), fiquei em tempo integral babando minha neta e também dando o apoio necessário para esse período tão delicado.

Você, Ciça para uns, Ceci para outros, está crescendo lindamente e nós só temos é que agradecer a Deus pela dádiva e permissão de tê-la no nosso convívio. Te esperamos há tanto tempo e finalmente você está aqui. Seja bem vinda e seja a luz das nossas vidas! Ainda não consigo acreditar que você veio, parece um sonho e eu fico toda boba!

Sua vovó lavava e passava suas roupinhas, ajudava sua mãe nas noites lonnngassss, quando ela só apenas cochilava, ainda ficava monitorando os remédios dela e com um olho aberto e outro fechado para não esquecer de alguma coisa…rsrsrsrs porque do horário de você comer era impossível esquecer, pois você abria o bocão 😀

Sem contar que quando chorava sem parar lhe pegava no colo e ia dançar e cantar até você dormir.

Seu primeiro mensário chegou e eu estava lá. Então vamos aos registros fotográficos.

Mas chegou a hora da vovó voltar para casa e o coração doia já de saudade e ainda dói, mas é a vida que segue e temos a tecnologia a nosso favor. Voltei uns dias antes de você completar 2 (dois) meses.

 

Helena, Adaptação à Mamadeira

Na realidade essa postagem deveria sair antes da do “introdução aos alimentos sólidos”, mas como a vovó se atrapalha de vez em quando 😀 vale assim mesmo, porque o propósito é registrar os acontecimentos para quando você crescer ler..rsrsrs

Ahh Helena, quando fecho os olhos vejo seu “calundú” para tomar a mamadeira. Eu e Cláudia, a diarista, fazíamos malabarismos. Eu tinha que ficar pulando e fazendo graça na sua frente para você se enterter e tomar umas goladas kkkkk, como estava dificil, tentamos dar no copo, na colher, foi quando Cláudia descobriu a seringa. E foi na sua seringa de medicamentos que você tomou seu leitinho. Até na creche as meninas tinham que fazer movimentos na sua frente para você aceitar. Entendo, não é? é dificil mesmo essa adaptação, saindo do quentinho do peito para um “negócio” de plástico!  Mas a mamadeira tinha que ser introduzida, e aos poucos, com a ajuda da “Galinha Pintadinha” você foi se acostumando. Santa Galinha Pintadinha, como faz efeito de acalmar 🙂

Agora, sua mãe me disse que vc já toma numa boa! Até seu pai lhe dá a mamadeira e você não reclama mais ❤

Fiz esse vídeo da última vez que fui lá na creche e também tem registrado seu papai lhe dando mamadeira.

 

 

 

Arthur, Carnaval de 2019

Sua mãe comprou a máscara do Batman para combinar com a camisa que você tinha escolhido, mas de última hora você não quis e lá se foi para o carnaval com a fantasia do homem aranha.

Ah, mas antes de irmos para o carnaval no Conde, teve também o carnaval de praxe promovido por sua escolhina, encerrando as atividades antes do recesso e a sua fantasia foi a do Mágico do “Magico de OZ”.

Vamos ver as fotos e vídeo dos dois carnavais 😀

Vídeo:

Fotos: Carnaval na escolinha:

Fazendo um coração de espuma

Com a Pró

Fotos: Carnaval no Conde

Folia lá no Conde

Dicas para futuras mamães

Vou deixar umas dicas de produtos que usamos e achamos ótimos para as mães de primeira viagem e para as que não são também, que podem ser bastante úteis!

O primeiro deles é o Colic Calm, específico para prevenir cólica ou mesmo quando ela já está presente, impressionante pára em 30 minutos!  Medicamento homeopático, o Colic Calm alivia gás infantil, cólicas e dores de estômago. É um medicamento de excelente sabor, listado pela FDA, e só precisa de ser administrado quando ocorrem sintomas de desconforto digestivo infantil. Muitos pediatras no Brasil já conhecem, outros não.

O segundo é o BeKool, uma compressa em forma de gel gelado, que alivia imediatamente o desconforto da dor, quando for dar vacinas em crianças e bebês, ou mesmo aliviar a febre colocando na testa. Tem efeito até 8 horas e não precisa colocar na geladeira. É um adesivo pronto para usar, depois das 8 horas pode descartar.

O terceiro é uma redinha muito prática, que é acoplada na banheira, para dá mais segurança às mães de primeira viagem para segurar o bebê. Adorei! Usei com a Cecília e realmente é um suporte e tanto para mães de primeira viagem que sentem receio do bebê escorregar na hora do banho, inclusive se tem mais conforto na hora de fazer a manobra para banhar as costas.

Eu trouxe dos Estados Unidos os dois primeiros itens, mas todos podem ser encontrados pelo Mercado Livre (embora caríssimo, porque enquanto nos Estados Unidos custe de 2.70 a 4.00 dolares, no ML está numa média de 45 reais e o Colic Calm que custa 19 dolares em USA, custa mais de 200 reais no ML. Portanto quem tiver alguém que possa trazer ou mesmo quando for em viagem fazer o enxoval, é uma boa dica colocar na lista de compras.

Helena, Fase lúdica

Toda criança precisa ser estimulada com cores, música, brinquedos para morder. Você sempre teve tudo isso, mas o brinquedo que você mais gosta é um que a tia Laura Mascarenhas lhe deu. Um tapete com vários brinquedos suspensos, que tem até um piano, ótimo agora para a sua nova fase de mocinha: já está sentando.

Importante também que a mãe leia historinhas para a criança desde a tenra idade. O cérebro recebe a informação e vai se desenvolvento cognitivamente. Sons relaxantes na hora de dormir também relaxam de um dia de atividades visuais.

Os pais e os profissionais de educação exercem uma influência ímpar no desenvolvimento da criança. A estimulação nesta fase é feita basicamente com brincadeiras e faz com que a criança aprenda melhor sobre si, o mundo em que a cerca, o espaço em que ela vive, seja na escola ou em casa. Reconhece os seus brinquedos, reconhece diferentes espaços e age conforme suas experiências neste espaço. Este grupo de atividades tonifica os músculos, ajuda o desenvolvimento psicoafetivos social do bebê e sua família.

A educação motora, além de contribuir para o desenvolvimento físico da criança, melhora o equilíbrio, ajuda o desenvolvimento do cérebro e é indispensável para a organização e reorganização do sistema nervoso, segundo os pedagogos. Os brinquedos e atividades relacionadas também incentivam o desenvolvimento de capacidades como a atenção, concentração, imaginação e observação.

Vocês sempre unidos, em qualquer lugar!

Ter amigos é bom e mantê-los melhor ainda. Convivência de criança tem que ser sadia e incentivada pelos pais, não só bom pela sociabilização, como pela criação de laços de fraternidade, companheirismo e formação da civilidade.

Aniversários, encontros, passeios, sempre esta patotinha de um jeito ou de outro se encontra.

Sabemos que de alguma forma talvez a vida os separe lá na frente, pois cada um segue o seu próprio rumo. Talvez uma mudança de cidade, de escola ou até mesmo do País, mas enquanto houver encontros ou laços afetivos criados poderá haver o reencontro depois.

Na escola, no esporte, no shopping, na fazenda ou em qualquer um outro passeio, vamos registrando esses momentos para mais tarde relembrar, não é?


%d blogueiros gostam disto: