Aqui começa a minha jornada, no mundo maravilhoso do sentimento de SER "Simplesmente Avó"

Arquivo da categoria: Experiências

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde) é recomendado que a introdução alimentar comece a partir dos 6 meses de idade, sendo que, até lá, a amamentação deve ser exclusiva e em livre demanda

Então chegou a hora de se lambuzar! Sua pediatra liberou algumas frutinhas e legumes e foi um sucesso. Adorou o mamão, a maçã, mas a banana fez uma cara de espantar…kkkkk, logo a banana, minha netinha? que sua vovó amaaa…mas, compreendo, ela tem a textura mais estranha mesmo, toda escorregadia e mais espessa! Aposto que depois que se acostumar vai adorar.

Cada bebê é diferente, porém a introdução alimentar do bebê SEMPRE deve ser de acordo com a pediatra pois só ele(a) conhece o histórico de saúde dele, a curva de crescimento dele e suas necessidades. Sempre uma fruta de cada vez, para observar se tem alguma reação e tudo amassado com o garfo, nada de liquidificador.

Nesse período de introdução alimentar, assim como qualquer fase de desenvolvimento do bebê requer uma coisa: PACIÊNCIA. É tudo novo pro bebê, texturas, o sólido. Nessas tentativas parece que o bebê está cuspindo e empurrando tudo para fora. Mas nem sempre é intencional ou porque o bebê está rejeitando a comida. Muitas vezes a língua empurra a comida para fora da boca porque o bebê ainda não sabe como fazer para “trazer a comida para dentro”.

Agora que você já completou oito meses, as papinhas e frutinhas estão bastante diversificadas, com a introdução da proteína na papinha e mistura de frutas.

Vamos ver como foi essa aventura?


Se você não vai até o Alaska, o Alaska vai até você 😀

Quem disse que você não foi conhecer a neve, que você sempre sonhou em ir? porque a vovó mora no país onde neva e você sempre ficava admirando pelas chamadas de vídos. 😀 oraaaa…claro que foi!!! Junto com a amiguinha Mariana e a tia Vania foram para o Alaska, fizeram até boneco de neve!  Só que no Salvador Shopping 🙂 mas não importa, você curtiu e saíram de lá com o nariz e o rosto vermelhos. Não aguentaram os 30 minutos que pagaram para ficar, a aventura só durou 15 minutos.

No espaço temático com temperatura de 15 graus abaixo de zero, a atração convida o público a fazer bonecos de neve, brincar de “anjinho” e deslizar em escorregadores. Os visitantes ainda podem fazer “batalhas” com bolas de neve e viver uma experiência que simula uma nevasca.

Olha só a empolgação!


Nem posso acreditar como o tempo passa voando…

Tantas coisinhas novas que você descobre a cada dia. Mamãe quer que vc fique no seu “tentame”, um quadradinho reservado para as brincadeiras, mas você quer é explorar outros lugares, se arrastar para pegar seus brinquedos favoritos, ou bulir nos objetos da casa. Tudo é novidade ❤

Diz seu pai que quando ele fala: “cadê vovó?” você olha logo para o celular…kkkkk

Não teve bolinho, estava chovendo muito e a mamãe não pôde passar na confeitaria para pegar, mas também você saiu recentemente do hospital e ainda está tomando suas nebulizações e remedinhos. Te amo, minha princesa, a vovó está morrendo de saudades.

Aos nove meses já começa a perceber muitas das coisas que os pais dizem. A sua memória está ficando mais desenvolvida e  já começa a querer comer sozinha, fazendo muita bagunça mas que é essencial para o seu desenvolvimento motor. Você também já tem dois dentinhos nascendo…

Nesse período teve uma visitinha das priminhas Ceci e Laurinha e da Bisa.

Ahh…já no final quando terminava esse post veio a notícia que agora ninguém lhe segura, você já está engatinhando pela casa, coisa mais linda da voinha!! ❤

 

Com Bisa

Com priminha Ceci


Na realidade essa postagem deveria sair antes da do “introdução aos alimentos sólidos”, mas como a vovó se atrapalha de vez em quando 😀 vale assim mesmo, porque o propósito é registrar os acontecimentos para quando você crescer ler..rsrsrs

Ahh Helena, quando fecho os olhos vejo seu “calundú” para tomar a mamadeira. Eu e Cláudia, a diarista, fazíamos malabarismos. Eu tinha que ficar pulando e fazendo graça na sua frente para você se enterter e tomar umas goladas kkkkk, como estava dificil, tentamos dar no copo, na colher, foi quando Cláudia descobriu a seringa. E foi na sua seringa de medicamentos que você tomou seu leitinho. Até na creche as meninas tinham que fazer movimentos na sua frente para você aceitar. Entendo, não é? é dificil mesmo essa adaptação, saindo do quentinho do peito para um “negócio” de plástico!  Mas a mamadeira tinha que ser introduzida, e aos poucos, com a ajuda da “Galinha Pintadinha” você foi se acostumando. Santa Galinha Pintadinha, como faz efeito de acalmar 🙂

Agora, sua mãe me disse que vc já toma numa boa! Até seu pai lhe dá a mamadeira e você não reclama mais ❤

Fiz esse vídeo da última vez que fui lá na creche e também tem registrado seu papai lhe dando mamadeira.

 

 

 


Vou deixar umas dicas de produtos que usamos e achamos ótimos para as mães de primeira viagem e para as que não são também, que podem ser bastante úteis!

O primeiro deles é o Colic Calm, específico para prevenir cólica ou mesmo quando ela já está presente, impressionante pára em 30 minutos!  Medicamento homeopático, o Colic Calm alivia gás infantil, cólicas e dores de estômago. É um medicamento de excelente sabor, listado pela FDA, e só precisa de ser administrado quando ocorrem sintomas de desconforto digestivo infantil. Muitos pediatras no Brasil já conhecem, outros não.

O segundo é o BeKool, uma compressa em forma de gel gelado, que alivia imediatamente o desconforto da dor, quando for dar vacinas em crianças e bebês, ou mesmo aliviar a febre colocando na testa. Tem efeito até 8 horas e não precisa colocar na geladeira. É um adesivo pronto para usar, depois das 8 horas pode descartar.

O terceiro é uma redinha muito prática, que é acoplada na banheira, para dá mais segurança às mães de primeira viagem para segurar o bebê. Adorei! Usei com a Cecília e realmente é um suporte e tanto para mães de primeira viagem que sentem receio do bebê escorregar na hora do banho, inclusive se tem mais conforto na hora de fazer a manobra para banhar as costas.

Eu trouxe dos Estados Unidos os dois primeiros itens, mas todos podem ser encontrados pelo Mercado Livre (embora caríssimo, porque enquanto nos Estados Unidos custe de 2.70 a 4.00 dolares, no ML está numa média de 45 reais e o Colic Calm que custa 19 dolares em USA, custa mais de 200 reais no ML. Portanto quem tiver alguém que possa trazer ou mesmo quando for em viagem fazer o enxoval, é uma boa dica colocar na lista de compras.


Ter amigos é bom e mantê-los melhor ainda. Convivência de criança tem que ser sadia e incentivada pelos pais, não só bom pela sociabilização, como pela criação de laços de fraternidade, companheirismo e formação da civilidade.

Aniversários, encontros, passeios, sempre esta patotinha de um jeito ou de outro se encontra.

Sabemos que de alguma forma talvez a vida os separe lá na frente, pois cada um segue o seu próprio rumo. Talvez uma mudança de cidade, de escola ou até mesmo do País, mas enquanto houver encontros ou laços afetivos criados poderá haver o reencontro depois.

Na escola, no esporte, no shopping, na fazenda ou em qualquer um outro passeio, vamos registrando esses momentos para mais tarde relembrar, não é?


Como falei numa postagem anterior, minha filha teve retardamento da descida do colostro e também por causa do bico do seio plano, a bebê não conseguia pegar. Por causa disso, foi introduzida ainda no hospital, a fórmula, porque a criança tinha que ser alimentada de alguma maneira. Ela teria que fazer o estímulo dos mamilos ainda na gravidez, mas o médico disse que seria um risco, pois estimularia o útero e ela já tinha tido ameaças de perda, o que tomou medicação com hormônio para conter.

No entanto, ela estava frustrada porque não conseguia amamentar, chorava e andava muito nervosa por conta disso e também ao nível hormonal que está presente na mulher no puerpério. Foi então que minha filha do meio vendo essa aflição marcou consulta com uma clínica de amamentação, de nome CALMA, que indico a quem estiver passando pela mesma situação. Profissional excelente a que nos atendeu. Hoje, com três meses, Cecília já mama no peito e a mãe só recorre à complementação da fórmula em pouca quantidade e tem dias que nem precisa.

Vou mostrar a vocês como é o processo. Foram dias de aprendizado para mim.

  1. Logo na clínica, é ensinado como usar a sonda (que é a mesma sonda uretral, só que na espessura de 4ml) e como é a maneira correta de segurar o bebê no peito. Lá, não é incentivado você a comprar a sonda no consultório  (pois eles vendem), ao contrário, dizem onde você acha mais barato. Por nossa comodidade compramos lá mesmo. Nos foi dado, como cortesia, um soutien próprio de formação do bico/mamilo e emprestado uma concha de silicone para manter o bico.
  2. Na primeira etapa não é finalidade a estimular a produção do leite. É a fase da estimulação da formação do mamilo e enquanto isso (dá um prazo de 7 dias) ainda é preciso o uso da fórmula que é oferecida a princípio através do dedo, com a inserção da sonda (jamais usar a mamadeira). Para isso o dedo deve estar esterelizado, e unha cortada (lavado com sabão e depois passa álcool 70)
  3. Na segunda e última etapa, depois do mamilo já formado, o dedo é substituído pelo bico do peito, colocando a sonda neste. Daí a criança começa a sugar o peito, estimulando-o e assim a produção do leite vai se formando. À medida que o leite vai descendo, este se mistura com o da sonda que vem da mamadeira e o bebê é quem vai determinar as suas necessidades. Com isso, vai se diminuindo a quantidade do leite da fórmula, até esta não ser mais preciso. Vale ressaltar que para ajudar também a produção do leite, além da estimulação direta no peito, foram prescritos alguns fitoterápicos (que são totalmente naturais).
  4. No caso de Cecília, foi interessante, ela se condicionou a ter a sonda na boca para pegar o peito, na fase da remoção gradual deste recurso. Às vezes, a mãe tinha que colocar a sondinha para ela pensar que viria leite da mamadeira, quando só era o peito mesmo. Depois a mãe tira a sonda e ela mama numa boa. Agora ela já está acostumando a mamar sem a sonda, só quando, às vezes, começa a chorar porque largou o bico do peito a mãe engana e só encosta a sonda na boca que ela imediatamente começa a chupar novamete. Como é o ser humano, em? se condiciona facilmente, e começa desde que somos bebês!

Agora vamos à parte ilustrativa.

1. Técnica de amamentação, primeira fase: sonda no dedo

2. Técnica de amamentaão, segunda fase: sonda no peito

3. Amamentando já sem a sonda.



%d blogueiros gostam disto: