Aqui começa a minha jornada, no mundo maravilhoso do sentimento de SER "Simplesmente Avó"

Arquivo da categoria: Passeios

Nem sempre estou no Brasil nessa época e coincidiu desta vez estar e curtir muito com meus netinhos. Helena e Cecília puderam participar do primeiro carnaval, todas fantasiadas de personagens da Disney.

Conde é sempre parada obrigatória para esses eventos, já que interior é mais tranquilo para as crianças. Carnaval foi em Fevereiro, ainda não estávamos em pandemia e interior tudo é mais leve!


Chegada – vista aérea de Salvador

E mais uma vez cruzei o oceano para estar perto dos meus! Isto já se tornou rotina anual em minha vida, não imaginando que dessa vez seria diferente, nem sonhando que retornaria antes do previsto e nem sabendo quando iria poder voltar novamente! Dessas surpresas da existência, que nos dá cada vez mais a certeza que o aqui e agora é o momento certo para desfrutar tudo o que pudermos, pois o futuro é sempre incerto e o controle de tudo está nas mãos de Deus. Nós, seres humanos, é que temos a mera tolice de achar que podemos controlar a nossa vida e a do outro, ledo engano!

Bem, além de vir para cumprir com a minha obrigação como cidadã aposentada de “provar que estou viva” (todo ano tem isso, né?  🙂 senão eles retêm seu benefício), ainda era época do aniversário da minha neta caçula e meu planejamento de fazer uma comemoração à capricho para os 90 anos da minha mãe (o que não foi possível).

Lá estava eu bem feliz, revi meus netinhos amados, meus filhos, pais, família, alguns amigos e ainda cheguei bem em cima da hora para o aniversário de Cecília, com registro de muitas fotos.

Momentos inesquecíveis vividos com meus netos, momentos esses que tento absorver toda a energia radiante para me nutrir e sinto por eles um amor inexplicável e sem limites! Tive a sorte de acompanhar as minhas netas Cecília e Helena nas suas primeiras experiências nas respectivas escolinhas, dividindo o tempo com a adaptação das duas.

Com Arthur:

Momento ternura

Mais ternura

Grudinho – na exposição de arte Eliana Kertész

Com a mamãe e a vovó, na exposição de artes Eliana Kertész

Porque avó tem que brincar de tudo….

Com Helena:

No dia da chegada da vovó..opa, quero ficar dentro dessa mala!

Pensamento, pensamento ….

Com a mamãe e a vovó, na exposição de artes Eliana Kertész

Que delícia! Fomos ver o mar…

Com Cecília:

Comemorando seu primeiro aninho…Com papai e mamãe!

Com a vovó, na cachoeirinha, Conde. Tinham que me colocar nessa onça!

Um dia de muita diversão, na Cachoeirinha, em Conde. Eu me esbaldei com a vovó naquela água fria.

Depois fui para o Conde, minha terra natal, onde tinha um planejamento em andamento da construção da casa nova de meus pais (fui fazer orçamentos, providenciar materiais, regularizar documentação e acompanhar as obras, coisas que sempre sobram para o filho mais velho, neste caso eu). Permaneci por lá a maior parte do tempo, porque também estava nos meus planos a celebração dos 90 anos de minha mãe, chegaram até algumas irmãs dela que moram no Rio de Janeiro e já tinha comprado coisas para a festa, mas veio o COVID-19 e todos os planos foram por água abaixo. Foi tudo muito rápido, de repente começaram as restrições e quarentena e as fronteiras e aeroportos começaram a serem fechados. Então, meu vôo de retorno que era para ser no final de março, teve que ser antecipado para o meio de março, porque se não aproveitasse o último dia que a companhia aérea me deu para sair, não poderia mais retornar tão cedo. Tinha marido convalescendo de uma lesão na coluna vertebral, resultado de um acidente automobilístico que tivemos em set/2019 e que também precisava de mim por perto naquela ocasião, já que tinha limitação de movimentos. Voltei, mas que sufuco a volta! Além de mofar no aeroporto de Salvador por dois dias, sendo que fomos colocados em hotel até normalizar, com vôo atrasado e cancelado, esperando eles arranjarem outro vôo para me alocar, tive que passar pelos aeroportos mais contaminados pelo COVID, naquela época, o de São Paulo e Nova Iorque, mas não tinha alternativa, pois foi o que acharam. A máscara tinha que trocar a cada três horas, enquanto estava no aeroporto. Deixei para usar a melhor, mais resistente, dentro do avião, pois a viagem seria longa. Tensão, mais alívio quando cheguei. Só que dias depois fui acometida de uma infecção respiratória, com muita secreção, sem nenhuma outro sintoma, mas mesmo assim fui ao médico, o que lógico, me enviou para fazer o teste do COVID 19, não só por causa da tosse, mas por ter chegado de uma viagem internacional. Dias de nervoso e tensão, mas graças a Deus o resultado veio negativo e dias depois já estava bem e sem mais nenhuma secreção.

Se não bastasse isso, semanas depois fiquei daqui angustiada pois a minha cidade natal, onde moram meus pais, foi totalmente alagada por uma grande enchente do rio Itapicuru, que corta a cidade, deixando muitas pessoas desabrigadas, mas a casa dos meus velhinhos não foi atingida e hoje eles já moram na construção nova, com mais conforto e segurança.

Assim é a vida, cheia de altos e baixos.


O melhor presente que uma criança pode ter é a atenção, amor e carinho dos que lhe cercam, para crescer com confiança e munida de sentimentos altruístas com o próximo. Sim, claro, que a criança gosta de brinquedos, mas também gosta de diversão e interatividade.

Dia das Crianças é comemorado anualmente em 12 de outubro no Brasil.

Esta data celebra os direitos das crianças e adolescentes, ajudando a conscientizar as pessoas (os pais, em especial) sobre os cuidados necessários durante esta fase da vida.

Tradicionalmente, no Brasil, no Dia das Crianças os adultos costumam oferecer presentes ou proporcionar atividades especiais e de entretenimento para os mais jovens.

A escolha desta data se deu porque nesse mesmo dia, no ano de 1959, o UNICEF oficializou a Declaração dos Direitos da Criança. Nesse documento, se estabeleceu uma série de direitos válidos a todas as crianças do mundo como alimentação, amor e educação.

E vocês meus netinhos, cada um teve uma forma de comemorar. Arthur, além de ter picnic e banho de mangueira na escolinha, ainda foi para o clube e depois para uma das praias mais lindas de Salvador, que fica na área militar, na localidade de Inema. Cecilia, foi se divertir na piscina com seus pais, irmãs e sobrinhos (Bento e Anastácia) e Helena foi lá para a casa da vovó materna, Del Carmem, receber os mimos dela, do tio Ruben, tia Natália e prima Laura. Na casa da vovó Del teve até cabaninha e amiguinhas para brincar.

Fotos de Arthur

 

Fotos de Helena

Fotos de Cecilia


Pois é, estava faltando você para ir começar a se familiarizar com o interior, a terra natal de sua avó materna e visitar seus bisos, tios e ficar, mesmo que pouco tempo, lá no sítio da vovó e de tia Cadinho. Você ainda não sabe o que significa tudo isso, mas já está mostrando a tendência para apreciar as flores, acho que elas têm a energia “chamativa” para os que são sensíveis à natureza e mesmo quem não é, não passa imune ao fascínio que elas exercem!

Ganhou maiô novo e claro que tinha que inaugurar, nem que fosse numa bacia….kkkkk….e foi isso o que aconteceu. Se deliciou na rede também, todos tem que passar por essa rede 😀

Vamos aos registros!

Na rede da casa da vovó…

Na casa de tia Cadinho, inaugurando meu maiô novo…

Conhecendo alguns membros da família!

Apreciando a natureza e encantada com a flor! ❤

Com tia Cadinho

Estou tão encantada!

 


Como sempre, quando vou ao Brasil atraso todas as postagens…. 🙂 mas vamos lá!

Começando pela sua participação, Arthur, no Natal tradicional que nossa família faz lá na roça, no Sítio da Vovó. Lá é onde você desfruta de todo o contato com a natureza, se suja de terra, brinca livremente pelo chão e ainda dorme de rede. Ahh, na véspera do natal você colocou cookies e leite para o papai noel, antes de ir dormir. E no dia seguinte, o que ganhou de presente? Uma bicicleta azul, o bom velhinho teve foi dificuldade para achar na cor que vc pediu 🙂

Aproveitando as suas férias de final de ano, como você já propagou aos quatro cantos que passou 23 dias passeando, se foi isso tudo é que não sei…kkkkk. Teve também a companhia dos seus amiguinhos.

Mas antes de vermos as fotos do Natal, vamos lembrar seu passeio à Aracaju?

Natal na roça



%d blogueiros gostam disto: