Aqui começa a minha jornada, no mundo maravilhoso do sentimento de SER "Simplesmente Avó"

Arquivo do mês: janeiro 2018

Em 08/01/2018, fui brindada com a maravilhosa notícia que vou ser vovó mais uma vez. Acabei de saber que mais um serzinho está a caminho para abrilhantar ainda mais a minha vida. É benção demais! Obrigada meu Deus. Entre risos e lágrimas, comemorei a alegria com o seu papai, que foi quem me informou em primeira mão! Olha que hoje também é o aniversário de sua mamãe, que belo presente em?

Tão logo soube da notícia comecei logo a escrever, só estava esperando o OK dos seus pais para publicar, mas agora complemento com mais informações!

Primeira prova da sua existência:

09/01/2018: Para se certificarem,  papai e mamãe foram ao laboratório e aí sim, mais uma confirmação. Agora, você disse: “aqui estou”!! Com 5 semanas e 6 dias ❤ . Posteriormente, sua primeira ultrasonografia!

Dessa vez, está sendo carregado no ventre pela minha nora e já estou começando a sonhar novamente como vai ser a carinha, com quem vai parecer e que novos aprendizados vem nos trazer! Acredito que Deus nos dá aquilo que merecemos ter e que tudo vem no tempo certo e no compasso que Ele determina! Já me pego fazendo planos novamente e radiante de felicidade. Esse era um dos sonhos do meu primogênito: Ser PAI.  Que você, meu (nosso) bebêzinho, seja guiado e trazido com muita paz, saúde e sabedoria para nos ensinar novos valores e o modo de viver de uma nova era! Já vai encontrar um priminho, muito lindo e inteligente, para dividir alegrias e momentos com você.

29/01-2018: Obaaaa… hoje, finalmente fui autorizada a publicar o post. Estou muito feliz! Você agora já está com 8 semanas. Vou começar agora a acompanhar o seu desenvolvimento. Vamos ver como já está?

Escrito para o BabyCenter Brasil
Aprovado pelo Conselho Médico do BabyCenter Brasil
(fiz adaptações no texto, pois escrevo o blog como se estivesse falando diretamente com eles)

De embrião, você já foi promovido a feto. O útero da mamãe está crescendo para acomodar o novo hóspede, que agora mede em torno de 1,6 centímetro. Várias mudanças acontecem esta semana — a cauda embrionária desaparece e todos os órgãos, músculos e nervos estão começando a funcionar. As mãos já se flexionam no punho, e os pés começam a perder a aparência de pé-de-pato. As pálpebras começam a cobrir os olhos. O fígado produz grandes quantidades de glóbulos vermelhos do sangue, até que a medula óssea se forme e assuma essa função.

A oitava semana marca o início de um estágio de desenvolvimento bastante movimentado. De agora até a 20a. semana, você vai crescer rápido, e as partes do corpo que se formaram nas primeiras semanas (como o coração e o cérebro) vão ficar mais especializadas e complexas. Agora, os dentes e o palato estão se formando, e as orelhas continuam se desenvolvendo. A sua pele é finíssima, e dá para ver claramente as veias.

Você está em pleno primeiro trimestre, a fase em que muitas mulheres reclamam das dores e dos incômodos comuns da gravidez. Talvez esteja quase impossível manter alguma coisa no estômago, graças aos  enjoos, causados em parte pelos hormônios da gravidez que circulam pelo corpo da mamãe.

Se for uma menina, inicia-se o desenvolvimento dos ovários (e quando nascer já terá uma reserva de cerca de 2 milhões de óvulos) e, se um menino, inicia-se o desenvolvimento dos testículos que se manterão dentro da cavidade abdominal até ao final da gravidez, altura em que se deslocam para a bolsa escrotal. (informação do site maemequer)

Seus primeiros sinais vitais…

O desenvolvimento de um bebê, com 8 semanas (imagem do babycenter), logicamente com zoom.

As células nervosas do cérebro estão se estendendo para se conectar umas às outras…

Os pulsos estão flexionados, e as mãos estão juntas sobre o peito.

E para que servem os avós? Para ajudá-los, junto com os pais, nessa adaptação ao novo ambiente, para apoiá-los, quando necessário, e para participar na fixação de valores do bem, do altruísmo, da compaixão, solidariedade e respeito para com o próximo.

Portanto, seja bem-vindo(@), meu mais novo amor!

Vovó Goreth (assim que Arthur me chama)

Anúncios

Crie, imagine, sonhe, ocupe! É com este mantra que o III Festival de Ilustração e Literatura Expandido movimentou a cena cultural de Salvador, entre os dias 4 e 7 de maio/2017. O espaço de encontro foi o Palácio da Aclamação, no Passeio Público – Campo Grande, o festival teve em sua programação, gratuita, diversas oficinas, exposições, lançamento de livro, conversas coletivas, performances e atividades infantis. O projeto é uma realização da Movimento Contínuo com produção da Multi Planejamento Cultural e tem apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura da Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia.

Você e seu amiguinho João Pedro, participaram da Oficina de Pintura “Criança Pinta Muito”…rsrsrs…olha o resultado! ❤


Muito interessante esse artigo que achei no site “Laboratório de Educação“, em parceria com Catraquinha.

Créditos: Shutterstock. Os micróbios têm um papel importante no sistema imunológico, daí a importância de deixar as crianças se sujarem sem preocupações excessivas, defende o pesquisador.

Pesquisas indicam que nem toda sujeira é prejudicial e apontam até que algumas delas podem contribuir para o aumento da imunidade da criança.

Chupeta que cai no chão e volta direto para a boca. Cachorro que lambe o rosto dos bebês engatinhando. Criança com a mão suja de terra chupando o dedo. Todas essas cenas são comuns da infância. Ainda assim, são preocupações recorrentes dos pais.

Para apaziguar o instinto protetor dos pais e cuidadores, estudos apontam que nem todas essas preocupações são necessárias e, mais do que isso, indicam que o excesso de higiene pode trazer até malefícios para a saúde dos pequenos.

O estudo do ‘microbioma’, ou seja, os micróbios que habitam o nosso corpo, é um campo da ciência que vem se ampliando nos últimos anos. A proposta é analisar qual o papel dos micróbios no sistema imunológico e provar como a falta deles pode se associar a problemas como asma, obesidade, diabetes e outros.

Emanuel Sarinho, presidente do Departamento Científico de Alergia da Sociedade Brasileira de Pediatria, afirma, em entrevista ao jornal O Globo, que a recomendação desmedida de antibióticos, por exemplo, também afeta o sistema imune. “Antibiótico só atua contra bactérias, e muitas vezes as crianças têm quadros virais. Esses remédios são maravilhosos, mas seu uso não pode ser banalizado, justamente porque eles matam também as bactérias do bem.”

O pesquisador defende que, principalmente nos primeiros anos de vida da criança, é importante deixá-los expostos a certas “sujeiras” para criar respostas imunológicas e desenvolver resistência.

“Precisamos pensar no que é mais importante na promoção da saúde: nos mantermos afastados dos micróbios ou sermos imunes a eles?”, questiona, referindo-se a uma tendência atual no sentido de melhorar a resposta imunológica, diminuindo a prescrição de antibióticos para estimular a imunidade natural das crianças.

Essa exposição aos “micróbios bons” é fundamental durante a primeira infância, argumenta o pesquisador que, além de contar casos e citar pesquisas, defende que a exposição a determinadas sujeiras ajudam a melhorar a microbiota (bactérias, vírus e fungos nanturais do organismo) dos filhos.

No livro “Let Them Eat Dirt” (em tradução livre, “Deixe as crianças comerem terra”), Brett Finlay, microbiologista da Universidade de British Columbia, no Canadá, defende a importância dos micróbios na primeira infância. Apesar de parecer um exagero à primeira vista, o título se refere à importância de deixar as crianças livres para brincar, se sujar, descobrir a natureza, os animais, sem preocupações excessivas com limpeza. Segundo ele, o “excesso de higienização do mundo” é recente, uma tendência de 30 anos para cá.

Em entrevista ao Catraquinha (*), a psicóloga Isabel Gervitz, do Laboratório de Educação, afirma que o conceito de sujeira é uma construção histórica e cultural. “Compreendemos a sujeira como um ‘desvalor’, e percebemos isso em vários aspectos ligados à infância, como a preocupação excessiva dos adultos com o fato de a criança se sujar ao brincar”.

Sem exageros, é claro, vale, então, deixarmos a criança, ainda pequena, explorar o ambiente à sua volta, brincando e também se sujando um bocadinho!

(*) O Catraquinha é fruto de uma parceria entre o Instituto Alana e o Catraca Livre. O site reúne informações interessantes para pais, educadores e familiares – de agenda cultural a projetos transformadores para a infância – com o intuito de empoderá-los para que interfiram positivamente no desenvolvimento das crianças, deixando-as exercer em sua plena potência a criatividade e a autonomia.



%d blogueiros gostam disto: