Aqui começa a minha jornada, no mundo maravilhoso do sentimento de SER "Simplesmente Avó"

Arquivo da categoria: Helena

Nem posso acreditar como o tempo passa voando…

Tantas coisinhas novas que você descobre a cada dia. Mamãe quer que vc fique no seu “tentame”, um quadradinho reservado para as brincadeiras, mas você quer é explorar outros lugares, se arrastar para pegar seus brinquedos favoritos, ou bulir nos objetos da casa. Tudo é novidade ❤

Diz seu pai que quando ele fala: “cadê vovó?” você olha logo para o celular…kkkkk

Não teve bolinho, estava chovendo muito e a mamãe não pôde passar na confeitaria para pegar, mas também você saiu recentemente do hospital e ainda está tomando suas nebulizações e remedinhos. Te amo, minha princesa, a vovó está morrendo de saudades.

Aos nove meses já começa a perceber muitas das coisas que os pais dizem. A sua memória está ficando mais desenvolvida e  já começa a querer comer sozinha, fazendo muita bagunça mas que é essencial para o seu desenvolvimento motor. Você também já tem dois dentinhos nascendo…

Nesse período teve uma visitinha das priminhas Ceci e Laurinha e da Bisa.

Ahh…já no final quando terminava esse post veio a notícia que agora ninguém lhe segura, você já está engatinhando pela casa, coisa mais linda da voinha!! ❤

 

Com Bisa

Com priminha Ceci

Anúncios

Pois é, aportamos nesse planeta ainda inocentes das habilidades dos humanos em superar problemas, dificuldades, inerentes ao desenvolvimento do SER. Uns com mais, outros com menos, mas ninguém escapa!

É na fase da primeira infância onde os pais se deparam com as possíveis doencinhas dos seus filhos, ainda devido a pouca imunidade que eles têm e aos órgãos estarem em desenvolvimento e adaptação ao mundo cheio das bactérias e vírus naturais, mas que geralmente não sabem lidar com os mesmos, principalmente os pais de primeira viagem, como costumamos dizer.

E você, minha netinha querida Helena, infelizmente foi pega por esse tal de vírus, que desenvolve dificuldades no trato respiratório, o que os médicos chamam “Bronquiolite”.

Foram dias de aflição e preocupação para todos nós, precisamente uma semana internada num hospital pediátrico, acompanhada dia e noite por seus pais, mas a minha fé nunca falhou e orava daqui todos os dias por sua breve recuperação. Deus é bom todos os dias, você já está ótima!

Aproveito para passar mais informações, para os que lêem o blog e tem filhos ou netos pequenos, sobre a Bronquiolite, que muitos confundem com a Bronquite.

A bronquiolite é uma infecção nos bronquíolos, ramificações dos brônquios que levam oxigênio aos pulmões. Em geral, sua causa é o vírus sincicial respiratório (VSR), que ataca principalmente crianças até os 2 anos de idade. Essa invasão propicia um excesso de muco nos tubinhos por onde o ar passa, comprometendo a captação de oxigênio. Entre os sintomas, o bebê fica com dificuldade para respirar.

Os pequenos são as vítimas preferenciais da bronquiolite, porque seu sistema imune ainda não está maduro para combater direito o agente viral. O VSR é altamente contagioso – ele é transmitido pelo ar, por toque e mesmo por objetos contaminados.

Os sintomas são muito parecidos aos da gripe: coriza, febre baixa e tosse estão entre eles, mas há também um ruído no peito. Esses podem ser minimizados com bastante repouso e ingestão de líquido.

Essa infecção, aliás, é uma das principais causas de internação entre crianças que ainda mamam. Se a bronquiolite não for tratada, pode provocar desidratação, insuficiência respiratória e evoluir para pneumonias, quando outras áreas dos pulmões são afetadas por micro-organismos.

Quando mais cedo for detectada a infecção nos bronquíolos, mais rápido e eficaz será o tratamento. Ao surgirem os primeiros sintomas, é importante levar a criança ao pediatra ou hospital. O exame físico, somado a testes complementares como raio x do tórax, confirma o diagnóstico. A hidratação e a amamentação fecham o plano de recuperação do bebê.

Adultos e crianças maiores contraem bronquite; os bebês, bronquiolite. Pelo fato de seu aparelho respiratório não estar totalmente desenvolvido.

RECOMENDAÇÕES:

Evite, ao máximo, a presença de fumantes perto da criança;

Faça com que o bebê repouse e tome bastante líquido;

Vaporizações podem aliviar os sintomas;

É indispensável o acompanhamento médico num caso de bronquiolite

Fontes: saudeabril; drauziovarela


Amor, muito amor… essa é a definição de seus oito meses de vida junto a nós, completados em 05/05/2019.

Tantas coisas novas você já aprendeu…bater palminhas, dar tchau, jogar beijos, chamar da-dai, ma-ma e eu daqui de longe só acompanhando o seu progresso e graças à tecnologia vamos nos vendo de vez em quando através de vídeos chamadas ❤ 😀

E como toda a criança nesse período infantil, você também passou por seus dias de primeiros enfrentamentos das gripes e alergias em alguma fruta, naturais para quem ainda não está com a imunidade totalmente completa, pois ainda está se equipando com os anticorpos necessários para o combate a essas coisas do mundo aqui fora. Mas, são coisas naturais da vida e você continua linda e esperta!

E para celebrar os seus oito meses, toda a sua familia estava reunida, só faltou alguns membros, inclusive eu, porque estou tão distante, mas curti tudo mesmo assim!


Quando uma avó vê seu neto pela primeira vez, floresce como pessoa, evolui como ser humano e as emoções se intensificam até alcançar um nível indescritível. Não importa se é seu primeiro ou oitavo neto. Todos são jóias de um lindo colar, tesouros de uma nova geração que são paparicados com muito amor.

Uma das coisas que muitas pessoas podem sentir quando, de repente, chega o primeiro neto é que acabam de entrar no outono das suas vidas. Já sou tão velha como dizem? O simples fato de que meus filhos já têm filhos significa que sou “uma senhora”? De forma alguma.

É comum que se perguntem como delimitar cada espaço em que estão inseridas, e cada responsabilidade que possuem. Elas sabem e entendem que seu papel não é o de “criar” ou de “educar”, esse aspecto já deixaram para trás, são tarefas dos pais. As avós de hoje em dia querem apenas uma coisa: ser esse apoio emocional e essa conselheira disponível, amável e mediadora na vida do recém-nascido.

A máxima aspiração de qualquer avó é ganhar o coração dos netos. Ela deseja ocupar para sempre um pedacinho muito especial do seu interior, quer passar o máximo de tempo possível com eles, mas sabe e entende que sua parcela restante de vida é, obviamente, mais limitada que a de seus netos.

Assim, uma das suas tarefas é a de transmitir uma educação baseada nas emoções, no reconhecimento, na força de um vínculo que deve acompanhar para sempre, seu ou seus netos, que serão os adultos do futuro. A avó vai renascer como o melhor modelo, uma pessoa que inspira, que dá bons conselhos, que permite crescer sem punir, que cultiva a esperança, que é o abraço de todos os dias, a mão que acaricia, o presente dado às escondidas e aquele eterno sorriso de cumplicidade.

Adaptado do Texto de Éres Mamá


Na realidade essa postagem deveria sair antes da do “introdução aos alimentos sólidos”, mas como a vovó se atrapalha de vez em quando 😀 vale assim mesmo, porque o propósito é registrar os acontecimentos para quando você crescer ler..rsrsrs

Ahh Helena, quando fecho os olhos vejo seu “calundú” para tomar a mamadeira. Eu e Cláudia, a diarista, fazíamos malabarismos. Eu tinha que ficar pulando e fazendo graça na sua frente para você se enterter e tomar umas goladas kkkkk, como estava dificil, tentamos dar no copo, na colher, foi quando Cláudia descobriu a seringa. E foi na sua seringa de medicamentos que você tomou seu leitinho. Até na creche as meninas tinham que fazer movimentos na sua frente para você aceitar. Entendo, não é? é dificil mesmo essa adaptação, saindo do quentinho do peito para um “negócio” de plástico!  Mas a mamadeira tinha que ser introduzida, e aos poucos, com a ajuda da “Galinha Pintadinha” você foi se acostumando. Santa Galinha Pintadinha, como faz efeito de acalmar 🙂

Agora, sua mãe me disse que vc já toma numa boa! Até seu pai lhe dá a mamadeira e você não reclama mais ❤

Fiz esse vídeo da última vez que fui lá na creche e também tem registrado seu papai lhe dando mamadeira.

 

 

 


Toda criança precisa ser estimulada com cores, música, brinquedos para morder. Você sempre teve tudo isso, mas o brinquedo que você mais gosta é um que a tia Laura Mascarenhas lhe deu. Um tapete com vários brinquedos suspensos, que tem até um piano, ótimo agora para a sua nova fase de mocinha: já está sentando.

Importante também que a mãe leia historinhas para a criança desde a tenra idade. O cérebro recebe a informação e vai se desenvolvento cognitivamente. Sons relaxantes na hora de dormir também relaxam de um dia de atividades visuais.

Os pais e os profissionais de educação exercem uma influência ímpar no desenvolvimento da criança. A estimulação nesta fase é feita basicamente com brincadeiras e faz com que a criança aprenda melhor sobre si, o mundo em que a cerca, o espaço em que ela vive, seja na escola ou em casa. Reconhece os seus brinquedos, reconhece diferentes espaços e age conforme suas experiências neste espaço. Este grupo de atividades tonifica os músculos, ajuda o desenvolvimento psicoafetivos social do bebê e sua família.

A educação motora, além de contribuir para o desenvolvimento físico da criança, melhora o equilíbrio, ajuda o desenvolvimento do cérebro e é indispensável para a organização e reorganização do sistema nervoso, segundo os pedagogos. Os brinquedos e atividades relacionadas também incentivam o desenvolvimento de capacidades como a atenção, concentração, imaginação e observação.


Muito bem! Aos 6 meses a pediatra disse que o leite materno deixa de ser a única fonte de nutrição do bebê, que passa a ser apresentado a outros alimentos e eles foram introduzidos na sua dieta. Começou com as frutinhas, você está gostando de todas, mas da maçã parece que não é fã 🙂

Muito me surpreendeu, pois pensei que você ia fazer caras e bocas, mas pelo visto, adorou! Já comeu feijãozinho com carne e frango, puré de batata e de cenoura. Seu papai, como é um chef na cozinha, faz sua papinha deliciosa do fim de semana.

Os hábitos alimentares não são herdados, mas adquiridos. De maneira geral os novos alimentos devem ser introduzidos de forma gradual, para observar se a criança está tolerando bem a transição. Você não tolerou bem a banana, deu alergia, mas segundo os especialistas ela é comum e desaparece com um ano ou até antes. Logo a banana?? rsrsrs 🙂

Se lambuzando

Primeira comidinha sólida



%d blogueiros gostam disto: