Aqui começa a minha jornada, no mundo maravilhoso do sentimento de SER "Simplesmente Avó"

Arquivo do mês: junho 2015

Tem feijão, tem rabanete, tem agrião, tem tomate, tem macarrão e tem espinafreeeeee….e adivinha quem foi o espinafre??

Para celebrar o dia das mães, a escolinha preparou uma apresentação dos pimpolhos, que por sinal, foram mais que uns artistas! Todos lindos e bem comportados e, é claro, todas as mães se debulharam em lágrimas.

Arthur, você foi a sensação da apresentação, todos falaram da sua desenvoltura e era só cantar: ” o que é que tem na sopa do neném”, que você começava a rodopiar, batendo o pratinho, que todos tinham na mão. As cortinas se abriram e você foi o primeiro a entrar, lindinho da vovó!! Mas que sufuco para controlar essas “turminha”! 😀

Aqui, algumas fotos que sua mãe e sua tia “Lala” registraram e mais esse vídeo que achei tão fantástico que fui logo editar! Não saiu uma obra de arte, pois vovó ainda não sabe lidar direito com edição de vídeo, mas para mim está emocionante e eu até chorei daqui, de tanta felicidade e emoção!

sopa2sopa1arthur sopa1 sopasopasopa3 sopa4

 

Anúncios

educacao-emocional1

educacc3a3o-emocional

Nós nos preocupamos em educar nossas crianças a fim de que elas possam bem enfrentar o mundo.

A tecnologia se intensifica, o mundo se globaliza, as distâncias se encurtam, e se faz preciso saber mais.

Assim multiplicam-se as aulas de idiomas estrangeiros, os cursos de reforço do conteúdo escolar, as aulas de esporte.

Em um mundo mais competitivo, exigimos sempre mais de nossas crianças.

É necessário vencer nas competições esportivas, mesmo aquelas escolares.

É fundamental ter a nota mais alta, o maior rendimento nos bancos escolares.

Preocupamo-nos muito em cultivar o corpo e alimentar a mente de nossos filhos.

Porém, ao educar, nos esquecemos de que não somos só corpo e mente. Somos também emoção.

E, muitas das vezes, damos pouca importância ou mesmo negligenciamos a educação emocional de nossos filhos.

Ao renascermos, trazemos a bagagem de experiências já vividas.

Não somos uma folha em branco a ser escrita ao longo da existência.

Retornamos à experiência terrena com toda a carga emocional que adquirimos ao longo das passadas existências.

Em razão disso, o panorama emocional que trazem nossos filhos merece cuidado para os ajustes que se façam necessários.

Se percebemos em nosso filho a tendência ao egoísmo, de importância se faz oferecer-lhe lições de solidariedade.

Levá-lo a visitar uma creche ou casa de apoio, a fim de oferecer alguns de seus brinquedos para essas crianças, irá ajudá-lo a compreender o que seja ser solidário.

Se notamos que ele se põe irado com facilidade, sem muita tolerância quando tolhido em alguma ação ou vontade, é fundamental mostrar-lhe o valor da paciência.

Assim, após um ataque de fúria, na medida em que for se tranquilizando, cabe-nos dialogar com ele a fim de conduzi-lo a refletir sobre a conveniência de ser mais paciente, mais tolerante.

Se observamos que nosso filho desanima frente às dificuldades e enfrentamentos da vida, desistindo logo, esmorecendo de maneira pessimista, por lhe faltarem perseverança e coragem, busquemos auxiliá-lo.

Dialoguemos com ele, oferecendo-lhe exemplos de vida de grandes homens e mulheres, dos mais conhecidos aos anônimos, que enfrentaram suas dificuldades e venceram. Isso lhe oferecerá oportunidade para reflexionar em torno do exercício da constância.

Assim, aos poucos, vamos analisando nossas crianças, proporcionando as lições que lhes faltam para sua educação emocional.

Se desejamos que eles sejam felizes, plenos e realizados, ofereçamo-lhes o ensejo de conhecerem seu mundo íntimo.

Conquistar o conhecimento do mundo externo é preocupação lícita e necessária para pais e mães no exercício da educação de seu filho.

Porém, oferecer-lhe a chave para adentrar a grande floresta desconhecida de sua intimidade, é valor inestimável, do qual jamais deverão os pais declinar.

Assim, colaboraremos, com eficácia, para a plena realização dos nossos filhos, na percepção clara de que se há um imenso mundo a ser descoberto, não menos desafiador e necessário se faz o autoconhecimento, trabalhando as suas emoções.

Por Redação do Momento Espírita.


Vocês foram passar a Semana Santa lá no sítio da titia-avó Cadinho e foi uma folia! Lá deixaram você até jogar areia prá cima e outras coisas mais 😀

Ano passado ainda estava muito pequeninho e não podia comer açúcar, mas esse ano, a Tia “Lala” lhe deu um enorme, que você adorou, mas claro que a mamãe disse que estava muito grande para você, pois ainda é limitada a ingestão de doces, precisa prevenir sua dentição tá? Mas mesmo assim lhe foi permitido saborear o chocolate (não é preciso nem dizer que você não queria se conformar…e advinha quem comeu o resto? rsrsrs)

Momentos registrados…

páscoa páscoa1

cafe da manha na fazenda


Tem quem chame de balde e quem chame de ofurô, a questão é: esse tipo de banho é um calmante natural para seu bebê .

Essa postagem deveria ter sido feita há mais tempo, mas entre uma coisa e outra me passei, então para a foto não ficar perdida na história e também porque sei que o seu blog está sendo lido por algumas mamães de primeira viagem e futuras mamães, vamos divulgar as vantagens do banho de ofurô, pois realmente acalma quando o bebê está agitado, com cólica e até mesmo para relaxar… e você, Arthur, dormia logo após sair desse banho!

ofurô

ofurô1

O  baby balde, também conhecido como ofurô de plástico. Criado em 1997 por obstetras e parteiros de maternidades da Holanda, o baldinho oferece ao recém-nascido (e bebês de até 6 meses de idade) uma transição tranquila do útero para o mundo. Segundo especialistas, quando os pequenos entram em contato com a água na hora do banho, logo se lembram do meio aquático do útero, um lugar fechado, escuro, quente e seguro. Como o ofurô remete a essa sensação intrauterina, os banhos sãos mais tranquilos e acalmam os bebês. Eles ficam em posição fetal, com pernas e braços encolhidos, submersos do pescoço para baixo e relaxam automaticamente.

Em teoria é fácil acalmar o bebê: pegar no colo, andar com ele pela casa, fazer massagem e até colocar uma música calma para ele escutar. Mas a verdade nua e crua a gente conhece bem! Tem horas que não tem jeito, a mãe respira fundo, entrega para o pai e vai tomar um banho pra relaxar. E aí… Eureka! Um banho relaxante ajuda a relaxar. Tanto que a técnica vem sendo utilizada em UTI´s neonatais, creches, e, claro, em casa, muitas vezes com baldes e/ou ofurôs.

Se você for perguntar para sua mãe, ela vai te dizer que o procedimento é mais antigo do que andar para trás. Mas para quem não conhece, explicamos: coloque aproximadamente ¼ de água no balde em torno dos 37°C e deixe a criança sentadinha dentro.

Para tornar o momento mais prazeroso para o bebê você pode usar ervas naturais. A camomila, por exemplo, pode ser usada em casos de cólica e agitação, já a calendula é útil em casos de assadura.

Precauções

Por mais que o banho de balde pareça simples, é preciso muito cuidado para fazê-lo. Afinal, estamos falando do nosso bebê e existem alguns aspectos que precisamos nos atentar. Primeiramente ter certeza de que o balde está em bom estado, não possuir resíduos de produtos de limpeza e não está descascando ou com farpas. O ideal é que ele seja usado apenas para dar banho no bebê.

Em hipótese alguma o bebê pode ficar sozinho, pois ele corre o risco de se afogar ou de o balde virar. Segundo os pediatras, é até melhor que haja mais de uma pessoa no local quando o bebê estiver tomando banho.

O banho não deve demorar muito, 20  minutos é um bom tempo. Isso porque a pele do bebê é mais fina que a do adulto e pode ficar enrugada e perder as camadas de gordura, importantes para a saúde do bebê. É importante segurar seu filho bem, para que ele não caia dentro do balde. Você também pode massagear suas costas e bracinhos para que ele fique mais relaxado.

Crédito de parte do texto: paisefilhos

ofurô1


Não é todo dia que se pode aproveitar de um banho de mar…com sua água salgadinha, tem vários benefícios para a saúde, mas antes de contar os benefícios, você sabia que a vida do nosso planeta começou no mar? E, de alguma forma, nós ainda guardamos no nosso corpo água que veio do mar. De fato, a composição em minerais do líquido das nossas células é igual à composição em minerais da água do mar, embora na água do mar a sua concentração seja maior. Alguns benefícios da água do mar: uma preciosa ajuda para o sistema respiratório (inalando os aerossóis marítimos (as gotículas de água do mar carregadas pelo vento), eles penetram profundamente na árvore respiratória e são carregados de minerais, estimulando e revitalizando a função respiratória, além de que essas mesmas gotículas ativam a circulação sanguínea e facilitam a posterior descamação das camadas superficiais da pele, hidratando e revitalizando a pele.

Quem não tem a chance de morar perto do mar, pode se utilizar da Talossoterapia, que é a utilização da água do mar com fins terapêuticos, preventivos ou para melhoria do bem-estar.

Mas você além de morar perto do mar, ainda tem ele bem pertinho, lá na cidade do interior da vovó e da Bisa! Memórias, para quando você crescer…

Olha você ai, com seus pais, pintando o “sete” 😀

praia

praia1

praia6

praia3

praia4

Passeando com o papai…

praia5

praia7


A relação saudável entre avós e netos 

Quando dizem que ser avó é ser mãe duas vezes, não estão mentindo. Com a chegada dos filhos todo homem e mulher muda, mas quando os netos nascem dá a impressão de que as mudanças são ainda maiores. Você aprende a ser ainda mais paciente e flexível, entende que os netinhos também precisam do espaço deles e, claro, fazem-lhes também todos os gostos.

Aliás, esse último aspecto é o que mais incomodam os pais, não é mesmo? Afinal, quem nunca ouviu reclamações dos filhos alegando que estão ‘mimando’ demais a criança ou que não podem fazer todas as vontades dos netos?

O que acontece, de fato, é que como os avós possuem um tempo maior para ficar com os pequenos, afinal, já estão aposentados, conseguem manter um relacionamento mais leve e divertido com o neto. Sendo assim, conseguem conversar, realizar tarefas juntos, brincar, partilhar momentos, entre outras tarefas típicas do cotidiano de um avô e uma avó que todos nós sabemos.

Mas, você sabia que a relação entre avó e neto traz muitos benefícios tanto para a criança como para o idoso? Quer saber quais são eles? Então confira abaixo:

Benefícios para os netos:

  • Proteção e amor: A infância é um período marcado por muitas descobertas e transformações na vida da criança que começa a transitar para a adolescência. Neste momento, o papel dos avós é orientar sobre como são as mudanças e em que elas acarretam. E uma das melhores maneiras de fazer com que o pequeno aceite as transformações é lhe proporcionando muito carinho, amor e atenção. Dessa forma, com o carinho dos mais velhos, meninos e meninas sentem-se mais protegidos das mudanças.
  • Personalidade da criança: atuar fortalecendo os vínculos afetivos e familiar da criança ajuda na formação da sua personalidade. Isso porque é justamente nos primeiros anos da infância que são delineadas as principais características do jeito. Por isso, é importante que a família esteja perto e prestando o devido suporte físicas e psicológicas da criança.
  • Respeito pelos mais velhos: a companhia do avô ou avó faz com que a criança entenda como é ser mais velha e, diante disso, aprenda a respeitá-los, aceitando suas diferenças e a entendendo suas limitações.

Benefícios para os avós

  • Afasta a depressão: A boa relação entre ambos ajuda a reduzir os sintomas da depressão nas duas gerações. No caso dos netos, a relação ajuda a passar uma maior segurança. Já para os avós, a criança representa um tempo de renovação que lhe aproxima da juventude.
  • Ajuda a ficarem mais ativos: O contato com a criança distrai e ajuda a te deixar mais ativo, fazendo com que você se sinta mais útil. Isso porque, com a convivência com a criança estimula o idoso a realizar atividades que exijam mais movimentação, como brincar no parque, passear no shopping, etc.
  • Troca de gerações: Esse é um aspecto que costuma ser muito produtivo para o idoso, pois os netos ensinam as particularidades da sociedade moderna. Como novas ferramentas tecnologias, vestimentas, mudanças no cotidiano, entre outros fatores.

Texto: equipeterceiraidade

IMG_9538

Bisneto com a Bisa…

_DSC1057

Neto com a Avó…



%d blogueiros gostam disto: