Aqui começa a minha jornada, no mundo maravilhoso do sentimento de SER "Simplesmente Avó"

Arquivo da categoria: FRANCISCO OU CECILIA

Hoje vamos falar sobre esse problema, com informações que podem ajudar outras pessoas que passam por essa situação.

Trombofilia é muitas vezes um problema silencioso, que pode levar a complicações na gravidez e abortos de repetição. Com diagnóstico e tratamento adequado, porém, uma grávida com trombofilia tem grande chance de levar uma gestação saudável adiante.

O que é trombofilia?

Trombofilia é o nome genérico para um quadro variado de disfunções que provocam aumento da coagulação sanguínea e possível formação de coágulos (trombos), que podem entupir os vasos de sangue do corpo.

Esse bloqueio de um vaso sanguíneo recebe o nome de trombose e pode representar um risco sério para a gravidez e para a saúde da própria mulher. É por isso que gestantes com algum tipo de trombofilia precisam de uma gravidez bem monitorada e cuidada.

Isso não quer dizer, contudo, que gestações com trombofilia não possam prosseguir sem problemas.

Existem exames de sangue específicos para que o médico possa investigar um diagnóstico de trombofilia, embora eles não façam parte dos testes de pré-natal de todas as mulheres.

A investigação para trombofilia é iniciada quando há antecedente pessoal ou familiar próximo de trombose, também no caso de abortos de repetição anteriores ou ainda quando acontece a perda do bebê no segundo ou no terceiro trimestre da gestação, sem explicação.

Existem dois tipos básicos de trombofilia:

Trombofilia de origem hereditária (ou seja, histórico familiar de formação de coágulos ou de outros problemas vasculares). Se você sabe que alguém da família já teve complicações relacionadas à coagulação sanguínea, não deixe de mencionar para o médico e as outras pessoas que acompanham o seu pré-natal. A investigação pode ser feita com a ajuda de um geneticista.

Trombofilia adquirida (desenvolvimento de determinadas síndromes, como a síndrome antifosfolípide ou síndrome de Hughes, problemas pelo uso de medicação/hormônios, ou doenças crônicas como o lúpus, artrite reumatoide e doença de Behçet).

Qual o tratamento para trombofilia na gravidez?

Você não só pode como deve manter um tratamento para trombofilia durante a gravidez. O tratamento depende do tipo de trombofilia que você tem, mas, de modo geral, a recomendação é uso de medicamentos e maior acompanhamento da gravidez e do crescimento do bebê no útero.

Se você ainda não frequenta um especialista da sua confiança, o primeiro passo é ir a um hematologista (médico que trata de problemas sanguíneos) e discutir o seu caso e o seu histórico.

Normalmente são receitados remédios para afinar o sangue (o mais comum é a heparina) e evitar a formação de coágulos. Às vezes doses baixas diárias de aspirina também fazem parte do tratamento, assim como corticoides.

Muitas vezes o medicamento é aplicado na forma de injeções diárias. O processo é um pouco incômodo, mas a agulha é curtinha e você vai acabar se acostumando.

No caso de remédios de alto custo, existem programas de saúde pública que fornecem os remédios. Informe-se com seu médico ou numa unidade básica de saúde.

Quais os riscos da trombofilia?

Infelizmente, trombofilia não diagnosticada, não tratada e sem acompanhamento pode levar a uma série de complicações sérias na gravidez:
Pré-eclâmpsia e eclâmpsia
Aumento da pressão arterial
Crescimento intrauterino restrito
Aborto espontâneo
Morte súbita do bebê no útero (natimorto)

Por mais que assuste saber do problema, como foi dito acima, você pode acompanhar e tratar da trombofilia, para que tanto a sua saúde como a do bebê estejam bem.
Com tratamento, são inúmeras as histórias de sucesso de mulheres que tiveram bebês saudáveis.

Posso parar o tratamento depois que o bebê nascer?

Talvez você tenha que continuar com o tratamento depois que o bebê nascer, mas com a medicação modificada. Somente o médico pode avaliar, e cada causa de trombofilia tem uma orientação diferente de remédios.

Por causa da trombofilia, alguns tipos de pílula anticoncepcional e outros métodos contraceptivos podem ser perigosos para a sua saúde, por aumentar o risco de trombose e derrame. Sempre avise seu médico sobre a trombofilia antes de adotar um método anticoncepcional baseado em hormônios.

FontesBabyCenter ; blogcarololiva  e depoisdachegadablog

 

 

 

Anúncios

Pronto, agora o quadro está ficando completo… Ser avó é tudo de bom! A coisa mais gostosa e prazerosa depois de ter meus próprios filhos.

Estou enriquecendo, só que de amores e de bençãos! Está vindo aí, com a permissão de Deus, mais um netinho (a) para completar o ciclo. Assim, todos os meus três filhos estão me presenteando com netos, para completar a minha existência, não poderia ser mais agradecida ao Criador, pela oportunidade de viver tudo isso.

Primeiro foi Arthur, da minha filha do meio e agora estão à caminho Heleninha, do meu primogênito e um outro bebê da minha filha caçula, que ainda não sabemos se será mais outro menininho ou menininha. Um em seguida do outro e essa avó do “além-fronteiras” vai estar mais dentro de avião que em terra…rsrsrsrs.,. aguenta coração! ❤ ❤

Depois de dois abortos espontâneos, eis que minha filha caçula descobriu, através dos exames de investigação que é portadora de traços de trombofilia (um probleminha de formação de trombos, por isso o tratamento com a medicação anticoagulante). A trombofilia na gravidez é muito complicado, pois o tratamento é doloroso e dispendioso, mas se fizer direitinho é possível sim, desenvolver bem a gravidez.

Amorzinho, é uma injeção diária que sua mamãe toma na barriga todos os dias, até a sua chegada a esse mundo, mas são as picadas do amor e tudo logo passa!

Francisco ou Cecília, quero agora falar de você. Estamos aqui ansiosos, na torcida que você venha em paz, com saúde e trazendo novos aprendizados para a gente. Está sendo uma longa luta para você chegar, sua mamãe, mais que ninguém, esperou ansiosamente por essa nova chance e com fé em Deus e a proteção da mãe Maria, você dessa vez estará logo, logo nos nossos braços.

Você já está com 10 semanas, já tem o seu coraçãozinho batendo forte. Todas as partes do corpo já estão presentes, como braços, pernas, olhos e os órgãos, inclusive os genitais, embora não estejam totalmente formados. Dizem que já engole o líquido amniótico e dá até pequenos chutes. 🙂 Já está se formando até as unhas, não é incrível? A criação da vida de um SER é mesmo fascinante, por toda a complexidade que nenhuma mente humana pode alcançar!

Aqui um pouco do início da sua historinha: teste de gravidez (que sua mãe agoniada fez dois, depois o de laboratório) e a primeira foto do seu desenvolvimento, através da ultrassonografia.

Vou publicar informações sobre a trombofilia e o tratamento, em postagens posteriores, para que sirvam de suporte para outras mães na mesma situação.

Seja vem vindo (a), meu mais novo amor! ❤

 



%d blogueiros gostam disto: