É, sua mamãe voltou a trabalhar e lá se foi você para a creche. Nos dias atuais e modernos essa é uma prática cada vez mais adotada por mães que estão no mercado de trabalho. Alguns podem até questionar, dizendo: “no meu tempo contratava-se uma babá”, mas será que hoje em dia dá para se confiar cegamente em ter alguém em casa que não se está familiarizado? Eu, particularmente, sou muito à favor da creche, que deve ser cuidadosamente observada e escolhida pelos pais. Por isso há o período de adaptação. As crianças se desenvolvem socialmente bem mais rápido, aprendem a ser mais independentes. O fato de estar exposta, na convivência com outras crianças, pode estar sujeita à possibilidade de adquirir mais vírus, mas isso é relativo, pois encerrada no casulo de casa, fica menos propensa a desenvolver a imunidade, tão necessária ao fortalecimento do organismo, pois uma hora ela vai ter que sair. Acrescentando que na creche tem profissionais capacitados em desenvolvimento infantil (fisioterapeuta, psicóloga, nutricionista etc) e as crianças estão sempre cercadas de várias cuidadoras.

Também estive presente nesse seu primeiro contato com o mundo da creche, nos dias de adaptação da primeira e um da segunda, que por sinal foi a creche do seu priminho Arthur.. Foi um pouco difícil porque você ainda não queria aceitar a mamadeira (claro, o que você conhecia era o seu peitinho..rsrs). Por questões da não adaptação à primeira creche, seus pais escolheram uma mais pertinho de casa, na qual vc se adaptou melhor e até elegeu Carol (uma das cuidadoras) como sua “best friend”, todas as vezes que fui lá você estava nos braços dela.

Vamos dá uma olhada nas fotos?

Na primeira creche

Na atual

Anúncios